DIGITE O QUE DESEJA PESQUISAR NESTE BLOG

UM POUCO SOBRE MIM...

Minha foto
Barro Alto, Bahia, Brazil
A cada dia me apaixono mais pelo trabalho com crianças com necessidades educativas especiais. Neste blog quero apresentar estratégias, informações e acima de tudo contribuições práticas para que estes sujeitos tenham possibilidades claras de aprendizagens. Confiram!!! Minhas credenciais: Sou Pedagogo; - Psicopedagogo Clínico e Institucional; - Assistente Social CRESS-Ba 8283.

Quando procurar um Psicopedagogo?

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Conservação de quantidade de líquidos

Conservação das quantidades de liquido
1. Introdução
A compreensão de que a quantidade de líquido - transvasado em recipientes com distintas dimensões - permanece constante apesar das mudanças de forma, indica que a criança resolveu o conflito entre a impressão perceptual e o conceito.
O padrão de construção desta noção permite reconhecer três estádios: um primeiro estádio não conservador, um segundo de condutas intermediárias e finalmente um estádio conservador.
Piaget e Szminska constataram que as crianças até aproximadamente os 5-6 anos de idade não reconhecem que a quantidade de um líquido é a mesma se encontra em recipientes com distinta forma.
A partir dos 5-6 anos - a qual é uma idade relativa, que vai variar nas diferentes culturas em função das estimulações recebidas - se observam condutas de transição, vale dizer, que os conceitos oscilam entre a conservação e não conservação.
E finalmente, a partir de aproximadamente os 7 anos, as crianças conservam, ou seja, que reconhecem que a quantidade de líquido permanece constante qualquer seja a forma que adote o mesmo em função do recipiente que o contém.
Ao mostrar-se às crianças de diferentes idades - menos de 5-6 anos, de 5-6 a 7 e de 7 ou mais anos - dois copos idênticos com a mesma quantidade de água, todas as crianças vão reconhecer que ambos contém a mesma quantidade.
Mas, se o total de líquido de um dos copos é transvasado a outro de forma diferente - mais estreito e alto, ou mais largo e baixo - enquanto que as crianças menores dirão que um tem mais e outro menos, as crianças intermediárias afirmaram, em algumas oportunidades, que tem o mesmo e em outras que não e só as crianças maiores mantiveram, perante qualquer transvasamento, que a quantidade de líquido permanece constante.
2. Objetivo
Avaliar a noção de conservação de quantidades contínuas com líquidos.
3. Materiais
• 2 copos idênticos (com um diâmetro de aproximadamente 5 cm e 8 cm de altura);
• 1 copo mais fino e alto (com lilTI diâmetro de aproximadamente 3 cm e 12 cm de altura);
• 1 copo mais largo e mais baixo (com um diâmetro de aproximadamente 7 cm e 4 cm de altura);
• 4 copinhos idênticos, de aproximadamente (cada um deles) 1/4 de volume de um dos copos idênticos;
• 2 garrafas com água colorida de distintas cores.
E importante levar em conta na escolha dos copos que os mesmos devem ser lisos - sem desenhos - sem base e todos do mesmo material. Quanto a cor dos líquidos é conveniente - por uma questão prática - que as cores se assemelhem a bebidas comumente usadas no lugar em que vive o entrevistado.
4. Procedimento
Apresentam-se os copos idênticos, coloca-se igual quantidade de líquido e transfere-se o conteúdo de um deles em copos com distintas dimensões. Utilizam-se contra-argumentações.
5. Administração
5.1. O entrevistado r coloca diante do entrevistado os copos
A (teste) e 1\. (experimental) e pergunta se os tamanhos são iguais;
5.2. Pede-se ao entrevistado que escolha uma das garrafas que contém a água colorida;
5.3. O entrevistador coloca o líquido no escolhido pelo entrevistado em A aproximadamente até a metade e pede que coloque em 1\. a mesma quantidade daquele que ele escolheu;
5.4. Quando o entrevistado mostra que estima que os vasos (A e B) têm a mesma quantidade o entrevistador pergunta (com a finalidade de comprovar se o entrevistado realmente pensa que existe uma igualdade). "Se eu bebo todo o líquido deste copo e você todo deste, beberemos a mesma quantidade ou um beberá mais e o outro menos?" Ou, qualquer forma equivalente.
5.5. O entrevistador transfere o líquido de A’ em B e pergunta: "Será que um tem menos e outro mais, ou temos a mesma quantidade?"
5.6. Qualquer que seja a resposta do entrevistado ¬conservadora "temos a mesma quantidade" ou não conservadora "não temos a mesma quantidade" - o entrevistador pede que explique isso? Explique-me. Como você sabe?"
5.7. Qualquer que seja a explicação do sujeito, o entrevistador contra-argumenta tomando o ponto de vista oposto ao do entrevistado:
• se o entrevistado explica não conservadoramente ("Este é mais alto") o entrevistador pode dizer: "Mas este é mais fino, e então?" Ou, "Mas este é mais largo", ou ainda, recordar a igualdade inicial.
• se o entrevistado explica argumentando conservadoramente o entrevistador pode dizer: "Mas neste o líquido está mais alto, e então?". Ou, outra forma equivalente.
O entrevistador considerar conveniente, também pode usar uma contra-argumentação com terceiro.
5.8. O entrevistador antes de colocar o líquido de B em (A’) pergunta: "E se eu voltar a colocar o líquido deste vaso (B) neste vaso (A) haverá ou não a mesma quantidade que neste vaso (A)?"
(pergunta de retorno empírico);
5.9. Se o entrevistado não resolve corretamente a pergunta do retorno empírico, o entrevistado r realiza o retorno antes de efetuar a próxima transferência (transvasamento);
5.10. O entrevistado r realiza a transferência de A em C e realiza os passos indicados em 5.6, 5.7, e 5.9.
5.11. O entrevistado r reparte o líquido do vaso experimental (A) nos copinhos (DI, D2, D3 e D4) e procede como explica em 5.6, 5.7 e 5.9;
Nesta transferência, os contra-argumentos se baseiam no maior número de copinhos e em seu tamanho pequeno.
6. Avaliação
6.1. Nível 1. Não conservador (geralmente até os 5-6 anos)
O entrevistado considera que os líquidos transferidos são quantidades maiores ou menores, mas não iguais ao do copo teste e as contra-argumentações não modificam sua opinião, ou lhe fazem opinar que a quantidade maior ou menor é a outra.
6.2. Nível 2. Intermediário (geralmente entre os 5-6 a 7 anos) O entrevistado oscila entre a conservação e a não conservação:
a) em uma mesma transferência, ou b) em diversas transferências, ou c) frente às contra-argumentações. As explicações são pouco claras e incompletas, mas pode resolver a situação do retorno empírico.
6.3. Nível 3. conservador (geralmente a partir dos 7 anos) O entrevistado considera em todas as transferências que as quantidades de líquido são iguais e mantém apesar das contra-argumentações do entrevistador
Pode explicar e justificar usando argumentos de identidade, de reversibilidade e de compensação.
7. Observações
7.1. Algumas crianças por dificuldades motoras ou perceptivas podem apresentar dificuldade para colocar igual quantidade de líquido no copo teste e experimental. Nestes casos, é conveniente que o entrevistado r o faça e interrogue a criança sobre se tem ou não a mesma quantidade.
7.2 Também pode ocorrer que algumas crianças por traços de personalidade realizam numerosas tentativas de colocar a mesma quantidade de líquido no copo teste e experimental, detendo-se durante muito tempo nesta atividade e duvidando se efetivamente conseguiu ou não.

UM MUNDO MELHOR SE CONSTRÓI EM MUTIRÃO

Nenhum comentário: